Escreva comigo meu novo livro

O que fazer em tempos de pandemia Covid-19, quando estamos evitando sair à rua? Como os jovens sentem os novos limites e se adaptam a eles? Estudantes ligados na Tecnologia Educacional, empresa do grupo Positivo, vão poder aproveitar o tempo e escrever, com suas experiências e memórias, um livro próprio, concebido e ilustrado por Mig Mendes.

A atividade, inventada pela Educacional há anos, permite que estudantes, orientados por seus professores, acessem uma interface de criação de livros, onde escolhem personagens, optam por ilustrações que entram ou não na história e preenchem os blocos de texto com suas próprias frases e versos. Depois, recebem um exemplar impresso do livro que fizeram. Este ano, as medidas de contenção da pandemia levaram à criação urgente de uma oficina do livro especial, e eu fui lembrado para transformar as orientações pedagógicas da equipe numa história sobre “ficar em casa”. Criei dois personagens para o lugar de protagonista: um menino e uma menina. Cada autor da oficina do livro começa escolhendo se quer um protagonista feminino ou masculino. 

Uma live no dia 9 de junho de 2020 reuniu educadores com os autores das oficinas do livro do ano: Ilan Breman e Mig Mendes:

O papel da literatura em tempos de pandemia


Campanha de Os Migonautas 4 está na rua.


Chega um momento na vida de um quadrinista em que ele precisa pegar todas as tirinhas criadas nos últimos 12 meses e formar um livro para perpetuar as coitadinhas. É aí que entram os apoiadores de campanha! Com a soma dos apoios, o artista consegue pagar a impressão do livro e distribuí-lo a todos que ajudaram. E não é só isso! Apoiadores podem receber recompensas extras, como os outros livros do Mig, marcador de página, cartão postal dos Migonautas e desenhos originais. Tem mais: caricaturas digitais ou em papel para os maiores apoiadores. O nome de cada pessoa que apoiou a publicação vai estar impresso no próprio livro Migonautas 4. Veja na página da campanha como é fácil e divertido, e faz uma imensa diferença para o artista!


Para cada nível de apoio o artista entrega um kit diferente de recompensas. Veja na página da campanha a descrição completa.


Como foi o Beco do Bocão 2019?

É possível que tenham sido os melhores cinco dias da minha vida profissional. Beco do Bocão foi uma feira de artistas de histórias em quadrinhos e ilustração dentro da Feira da Providência (Rio de Janeiro - RJ) e, sob vários aspectos, foi um sucesso. Mais ainda, porque foi realizado com a superação de alguns obstáculos. Foi a primeira vez que organizei um evento de quadrinhos e, agora que está formatado, pretendemos repeti-lo todo ano.




Pela primeira vez, um stand inteiro, exclusivo para venda dos trabalhos independentes de quadrinistas e ilustradores, foi atração da Feira da Providência, evento tradicional das famílias do Rio de Janeiro e região, para compra de presentes e alimentos para as festas de fim-de-ano. A ideia da Superintendência da feira era trazer novidade para o público, na sua 59ª edição anual. A ideia dos quadrinistas era expor suas revistas, livros, posters e cartões para pessoas “fora da bolha”, ou seja, que não sabem que existe esse tipo de artista por perto, ou que não costuma frequentar eventos culturais em que os quadrinistas vendam suas publicações independentes.

Os dois objetivos foram alcançados! O belo estande do Beco do Bocão fez bonito nos cinco dias de feira, chamando a atenção de visitantes de todas as faixas etárias e estratos sociais. Ganhou, inclusive, um troféu como destaque, prêmio criado por um dos expositores, Sr. Isaías, do stand Mais Memória.


Quanto ao resultado das vendas e contatos dos quadrinistas, as avaliações foram de satisfatórias até recordes. Levando em conta que o público não visitou o Beco do Bocão movido por propaganda, mas conheceu os artistas pela primeira vez, comprando por impulso,  os faturamentos foram surpreendentes. O elenco de quadrinistas foi montado para oferecer variedade, representar várias gerações de artistas e atrair os olhares das famílias. O efeito disso foram cinco dias de convívio caloroso e bem-humorado.

Nossa estratégia foi nos aproximar bastante do público passante e mostrar que ali na bancada estavam os próprios artistas que conceberam e desenharam todas as publicações e produtos. Um presente comprado ali ganhava mais valor, com autógrafo e dedicatória (além de um bate-papo atencioso). Além disso, crianças e jovens podiam se identificar com os quadrinistas, ouvir dicas e descobrir uma carreira artística. 

A hashtag #dêquadrinhosdepresente foi a tônica da comunicação nas redes sociais. Para evidenciar que o público encontrava verdadeiros artistas no Beco do Bocão, utilizamos vários cavaletes com blocos de papel onde nós nos revesávamos na feitura de desenhos variados. As folhas eram fixadas nas paredes do stand e, depois, oferecidas aos compradores que adquiriam algum combo



Quanto aos obstáculos, os dois maiores foram a imprevisibilidade do resultado e a inconveniência que muitos artistas sentiram em participar, uma vez que o evento aconteceu nas mesmas datas da CCXP em São Paulo (a maior feira de quadrinistas no país). Assim, o elenco demorou a ser fechado, aumentando a tal imprevisibilidade. Quem participou se comprometeu a expor 11 horas por dia, durante cinco dias, sendo três dias úteis, entre obrigações de final de ano, num local longe de casa para a grande maioria.

As facilidades ficaram por conta da equipe da Feira da Providência, que investiu na nossa ideia e prestigiou a classe com o estande mais digno que um quadrinista brasileiro já viu. Agradecimentos especiais para Clarice Linhares,  Janaína Melo, Rafaela Francisco e Sylvia Lima.

A novidade chamou atenção da imprensa local e figurou no noticiário em vídeo, como nos links abaixo:

• Matéria
no Jornal do Rio (Band) – Primeiro dia.

• Matéria
em Jornal das 10 (Globonews)

• Bom
Dia Rio
de quarta feira, sem imagens, mas com citação do âncora.

• Barra TV - a partir do minuto 3:25


Copyright 2019 Mig Mendes

Using Format